História do Departamento de Teologia

 

Foto: Israel Silva

Foto: Israel Silva

O Departamento de Teologia constitui, dentro da Universidade Católica, o centro de reflexão crítica a serviço da leitura teológica da realidade percebida a partir da fé cristã.

A Teologia tem seu modo próprio de captar a realidade e possui igualmente seu discurso próprio. Sua pertinência lhe vem da Palavra da Revelação cristã interpretada na comunidade eclesial, entendida no seu dinamismo histórico. Sua relevância depende da abertura e da capacidade de assumir tema-ticamente as exigências do momento histórico que é seu.

O Departamento de Teologia pretende desenvolver tanto a dimensão de pertinência quanto a dimensão de relevância do estudo teológico. Os estudos desenvolvidos pelo Departamento de Teologia dividem-se em duas seções: Seção A – Teologia (graduação e pós-graduação); e Seção B – Cultura Religiosa (graduação)

Graduação

Foto: iStock-512979285

Foto: iStock-512979285

A graduação em Teologia da PUC-Rio vem desenvolvendo as suas atividades desde 1968. Oferece o título de bacharel em Teologia, com reconhecimento civil (MEC, portaria 2602, de 25/07/2005) e com reconhecimento eclesiástico (Santa Sé, 1972).

Pós-graduação

O programa de Pós-graduação stricto sensu em Teologia da PUC-Rio, com Mestrado e Doutorado, funciona desde 1972, com áreas de concentração em Teologia Bíblica e Teologia Sistemático-Pastoral. Aos 20/05/1972, a Santa Sé erigiu o Departamento de Teologia em Faculdade de Teologia concedendo-lhe o poder de conferir graus acadêmicos eclesiásticos de Mestrado e Doutorado em Teologia. O Curso é avaliado pela Capes com conceito 5 para o triênio 2001/2003.

Cultura Religiosa

A formação em cultura religiosa oferecida aos alunos sempre foi uma constante desde o início da PUC-Rio, quando formava o conjunto das então denominadas “Faculdades Católicas”. Os documentos que fazem memória desse tempo informam, por exemplo, que em 1941, nas Faculdades de Filosofia e Direito “funcionava regularmente o curso de Cultura Religiosa superior, com uma aula por semana” . Dependendo da Faculdade, utilizava-se Religião ou Cultura Religiosa como termos para nomear as disciplinas de conteúdo religioso. Em 1961, algumas dessas disciplinas são identificadas, por exemplo, como Apologética, Dogma, Doutrina Social da Igreja, Direito Canônico e Teologia Fundamental. Nos cursos de Jornalismo, Serviço Social e Psicologia o termo Cultura Religiosa se mantém como título, sem expressar o conteúdo das disciplinas. Nestas duas décadas iniciais, o corpo docente era composto por padres e religiosos que se vinculavam à PUC através dos departamentos onde ministravam suas disciplinas. Não havia, portanto, um grupo ou coordenação que fosse uma referência para os professores e para as aulas de Cultura Religiosa.

Em 1968, foi fundado o Departamento de Teologia e integrado ao recém criado Centro de Teologia e Ciências Humanas (CTCH). Dentre suas atribuições estava a de oferecer um curso regular de graduação em Teologia e, ao mesmo tempo, coordenar as disciplinas de Cultura Religiosa para alunos de todos os outros departamentos. A partir de então, o corpo docente e os conteúdos da CRE passaram a ter uma referência que muito contribuiu para o aprimoramento da Cultura Religiosa. O catálogo de 1969, refletindo a Reforma Universitária e a coordenação feita pela teologia, nos informa que os alunos da PUC, nos seus diferentes cursos, deveriam a partir de então, cumprir de 12 a 16 créditos de “disciplinas de conteúdo moral cristão no Departamento de Teologia, incluindo ética” . Neste contexto histórico, também marcado pelos desdobramentos do Concílio Vaticano II e a Conferência de Medellín, nota-se uma ampliação no elenco de disciplinas oferecidas. Os alunos deveriam escolher entre, por exemplo, A Fé e o homem moderno; Ciência e Fé; Religião na História da América Latina; O agir humano na perspectiva da Salvação; Bíblia; Secularização; Relações humanas na família; Doutrina Social da Igreja; Estudo comparado das Religiões; A Igreja e Ética Profissional (para os diferentes cursos). Durante os anos 70, deu-se um avanço na organização e no fortalecimento da CRE dentro do Departamento de Teologia e na PUC como um todo.

No início dos anos 80, assessorada por teólogos e cientistas sociais, a CRE empreendeu uma reforma curricular que reiterou a importância da interdisciplinaridade como também o diálogo entre fé cristã e racionalidade moderna. O amplo leque de disciplinas foi sendo então compilado para as quatro básicas, conhecidas ainda hoje, como O Homem e o Fenômeno Religioso, Cristianismo, Ética Cristã e Ética Profissional. Neste período, investiu-se muito na formação e qualificação do grupo de docentes através de cursos, seminários internos e encontros entre o corpo docente e discente, entre CRE e Teologia. Enquanto grupo, a CRE foi mostrando sua relevância ao articular-se com outros setores da PUC, por exemplo, as Semanas de Cultura Religiosa, a publicação da Revista CREatividade, ciclo de palestras aberta a professores e coordenadores de Ensino Religioso, encontros de formação para professores cristãos e cursos de aprofundamento da fé.

Foto: iStock-534215078

Foto: iStock-534215078

Estamos vivendo desde 2001, um tempo marcado pela necessidade de reformar, recriar e expandir as conquistas já realizadas anteriormente. Neste período, conquistamos o direito de utilizar um espaço físico adequado às necessidades de nossos 39 professores. Reconfiguramos as ementas, conteúdos mínimos e bibliografia de cada uma das nossas disciplinas. Refletimos sobre o sistema de avaliação e retornamos a prática de duas reuniões gerais por semestre. Estreitamos laços com a equipe de Pastoral, através de atividades conjuntas oferecidas aos alunos e professores. Estamos ampliando as relações interdisciplinares com diversos departamentos da PUC, tentando aperfeiçoar nossos serviços como também os convidando para pequenos Colóquios nas nossas próprias turmas. Empreendendo, refletindo e somando esforços, a CRE vai assumindo aos poucos, com maior clareza, sua especificidade e sua vocação dentro do Departamento de Teologia e na própria PUC.

A partir de 2007, foram incluídos dois importantes elementos para organização da CRE: a coordenação em equipe com auxiliares de coordenação (Supervisores Acadêmicos) e a formação da Comissão Acadêmica da Cultura Religiosa. A nova organização possibilitou um crescimento no dinamismo da CRE.

Em continuidade com o espírito de abertura que caracteriza a Cultura Religiosa e buscando sempre um maior diálogo com outras unidades da PUC, foram reativadas, em novo formato, as Semanas da CRE (a partir de 2009) e ampliados os espaços de oferta de atividades interdisciplinares para alunos, professores e funcionários. Realizou-se um vídeo sobre o trabalho da Cultura Religiosa (2010), criou-se o Domínio Adicional Cristianismo em diálogo com o mundo contemporâneo e deu-se início a um curso de pós-graduação lato sensu: Teologia cristã em diálogo: culturas e religiões.

Os professores contribuem com a reflexão sobre o trabalho da CRE através de artigos e livros. O livro Juventude, Religião e Ética: Reflexões teórico-práticas sobre a Pesquisa “Perfil da Juventude na PUC-Rio” (Ed. PUC-Rio, 2010), reúne dez capítulos de professores do Departamento, dedicados a relacionar seu trabalho docente com os desafios encontrados na pesquisa sobre os alunos da PUC, realizada pelo CERIS/PUC em 2006.

Respondendo às demandas universitárias, a CRE oferece, desde 2010, o curso O Humano e o Fenômeno Religioso na modalidade a distância.

Enfim, renovando-se continuamente, refletindo conjuntamente e somando esforços, a CRE busca assumir sua identidade e missão dentro da Universidade.

Iniciação Teológica à Distância

Foto: Israel Sivla

Foto: Israel Sivla

O funcionamento do projeto é garantido pela articulação dos responsáveis: Departamento de Teologia da PUC-Rio e os Centros Regionais de Apoio. Nestes, a figura dos coordenadores e tutores é relevante para dinamizar o estudo e possibilitar o entrosamento entre os cursistas.

Iniciamos as atividades em 1997.1 com dois Centros Regionais: um em Macaé, envolvendo o Vicariato Litorâneo da Diocese de Nova Friburgo e outro no Rio de Janeiro.

Devido aos resultados obtidos no Curso I e à solicitação de vários grupos, iniciamos o Curso II, em 1998.2 e em 2000.1, iniciamos os Cursos III e IV. O Curso II atendeu a cinco Centros Regionais de Apoio: Jacarepaguá/Rio; Valença/Sapucaia/; São João de Meriti e Baixada Fluminense; Rio, Zona Norte e Rio, Zona Sul. Já o Curso III atendeu ao Centro de apoio sediado na Diocese de Guarajá-Mirim (Rondônia), abrangendo dois grupos de concentração de cursistas: Guajará-Mirim e Colorado do Oeste. O Curso IV, cujo centro de apoio é a Paróquia Nossa Senhora de Fátima (Duque de Caxias-RJ), atende a cursistas desta diocese. Em novembro de 2001, foi iniciado o Curso V, com sede no Colégio Santa Maria, para atender a paróquias de São João de Meriti e vizinhanças. Em agosto de 2002 foi iniciado o Curso VI para atender ao Colégio da Companhia de Santa Teresa de Jesus e a outros colégio da Zona Norte do Rio de Janeiro e em abril de 2003, foi inaugurado o Curso VII, para atender a Arquidiocese de Montes Claros/MG. Em junho de 2003, começou o curso VIII, na Diocese de Guajará-Mirim. Em 2004, iniciamos os cursos IX, destinado a professores e funcionários da PUC/Rio e paróquias vizinhas; o curso X, para atender à Diocese de Itaguaí/RJ, curso XI para atender a localidade de Sta Cruz/RJ, cursoXII Vicariato Suburbano, curso XIII Bananal (ES), e o curso XIV em Juína(MT) . Em 2006 o Curso XV para o Vicariato da Leopoldina, Rio de Janeiro.

Esperamos que este Curso, que vem despertando muitos/as cristãos/ãs para um entusiasmado engajamento na missão evangelizadora, favoreça um aprofundamento pessoal na experiência de seguimento de Jesus Cristo e possa contribuir de fato para o aprofundamento bíblico-teológico das pessoas comprometidas com a Pastoral – professores de Ensino Religioso, catequistas, agentes de pastoral e outros, proporcionando-lhes uma maior sistematização dos conteúdos da fé a serviço da Evangelização.